A APROSOC dispõe de redes privativas de radiocomunicações em VHF e UHF próprias ou cedidas por outros Associados ou entidades parceiras mediante protocolo de cooperação com plena integração que, possibilitam aos nossos Associados (até ao número limite de cada licença) comunicar com mais potência do que em CB, PMR446 ou LPD433 de forma legal, sem ter de ser radioamador para ter esse privilégio.

Estas redes próprias ou cedidas destinam-se a comunicações no âmbito das atividades da Associação, sejam elas de âmbito emergêncista, formativo ou mesmo recreativo, desde que respeitados os parâmetros de cada uma das licenças, com exceção das redes via retransmissor que somente possibilitam comunicações de âmbito não recreativo.

Os equipamentos integrados na rede, são programados pelos técnicos autorizados pelo presidente da Direção da APROSOC para o efeito e a sua programação não pode ser alterada por pessoas não autorizadas.

Os Associados cuja correspondente categoria tenha uma quotização superior a 60.00€ não têm de fazer qualquer comparticipação extraordinária para a licença da rede de licença radioelétrica que pretende integrar, bastando submeter o equipamento à programação.

Os Associados cuja correspondente categoria tenha uma quotização até 60.00€, devem comparticipar em partes iguais a licença da rede que pretendem integrar, sendo o valor total repartido pelo número de partilhantes.

Os equipamentos usados nas redes privativas, tem de ter por imposição legal as seguintes características:

  • A potência aparente radiada (P.A.R.) não pode exceder a indicada na licença (5 ou 25Watts conforme o caso);
  • Tem de incorporar limitador automático do tempo de emissão continua a 60 segundos;
  • Tem de incorporar circuito de penalização de transmissão de 10 segundos quando atinge os 60 segundos de emissão contínua;
  • Tem de incorporar circuito de inibição de transmissão quando o canal está ocupado;
  • Tem de funcionar com o espaçamento máximo entre canais de 12,5KHz;
  • Tem de possuir declaração de conformidade para operar em redes privativas do Serviço Móvel Terrestre;
  • Não devem possuir frequências do serviço de amador, PMR446, ou quaisquer outros serviços de radiocomunicações.

    Em caso de dúvida sobre os modelos que cumprem as normas para o efeito contacte a APROSOC e teremos muito gosto em prestar o aconselhamento solicitado.