Blog

CB Channel List

Esta lista tem como objetivo facilitar o encontro lúdico ou mesmo o pedido de ajuda / socorro quando ou onde não existem telecomunicações de acesso público.
Criação: 09/04/2016
Última atualização: 24/06/2022

Canal / Frequência

  • canal 1 – 26.965 MHz
  • canal 2 – 26.975 MHz
  • canal 3 – 26.985 MHz
    • Camionistas em QSY – Zona Centro e Norte – AM
    • Radiobaliza Olaias em AM
  • canal 4 – 27.005 MHz
  • canal 5 – 27.015 MHz
  • canal 6 – 27.025 MHz
  • canal 7 – 27.035 MHz – CBs de Queijas, Cova do Vapor e Trafaria
  • canal 8 – 27.055 MHz – CBs de Loures
  • canal 9 – 27.065 MHz – Canal de Segurança, Salvamento e Socorro (rara atividade, geralmente só ativo em catástrofes)
  • canal 10 – 27.075 MHz – Camionistas em QSY – AM
  • canal 11 – 27.085 MHz – Canal de chamada – AM/FM 
  • canal 12 – 27.105 MHz – Atividade diária da APROSOC  em AM/FM e atividade da ANARPT ao domingo de manhã em FM e USB (Programa OÁSIS  da APROSOC desde 2019 e independente da Rede OÁSIS da ANARPT desde 2022)
  • canal 13 – 27.115 MHz
  • canal 14 – 27.125 MHz
  • canal 15 – 27.135 MHz
    • CBs de Setúbal – LSB
    • Praticantes de TT região Oeste e Leiria – FM
  • canal 16 – 27.155 MHz – Papa Tango DX Sintra – LSB
  • canal 17 – 27.165 MHz
  • canal 18 – 27.175 MHz
    • CBs de Setúbal – LSB
    • Praticantes de TT região Oeste e Leiria – LSB
  • canal 19 – 27.185 MHz – SER – Caldas da Rainha – FM
  • canal 20 – 27.205 MHz – CBs de Amadora e Margem Sul do Tejo – LSB
  • canal 21 – 27.215 MHz
  • canal 22 – 27.225 MHz – Camionistas em QSY Margem Sul do Tejo – AM
  • canal 23 – 27.255 MHz – Camionistas em QSY Zona Centro – AM
  • canal 24 – 27.235 MHz
  • canal 25 – 27.245 MHz – Grupos  na Zona de Lisboa e Norte (Fafe)
  • canal 26 – 27.265 MHz
  • canal 27 – 27.275 MHz
    • Clube CB Os Amigos de Torres Novas – LSB
    • Papa Alfa Tango – USB
    • Radiobaliza (Beacon) Lidercom – FM
  • canal 28 – 27.285 MHz
  • canal 29 – 27.295 MHz
  • canal 30 – 27.305 MHz – Grupo Radioamadores & CB Cova da Beira  – Todos os modos
  • canal 31 – 27.315 MHz – Camionistas em QSY – Todo país – AM
  • canal 32 – 27.325 MHz
  • canal 33 – 27.335 MHz – Grupo Cêbeista Rádios Avariados – LSB
  • canal 34 – 27.345 MHz – Muita atividade em todo o país e estrangeiro – LSB
  • canal 35 – 27.355 MHz
  • canal 36 – 27.365 MHz
  • canal 37 – 27.375 MHz
    • Associação Templários CB / DX Tomar – USB
    • Macanudos Sintra – LSB
  • canal 38 – 27.385 MHz
    • Os Marafádos C. B. Clube – LSB
    • QRX Norte – LSB
  • canal 39 – 27.395 MHz
  • canal 40 – 27.405 MHz – Corpo de Voluntários Rádio Emergência – AM (sem atividade)

Se tiver alguma informação que queira partilhar connosco para melhorar-mos esta lista, pode se assim o desejar fazê-lo através do e-mail: [email protected] ou WhatsApp 910 910 112.

O programa OÁSIS é nosso, é seu, é de quem a ele aderir (continuação)

O programa OÁSIS é pertença do seu mentor e Presidente da Direção da APROSOC e está acessível a quem se proponha integrar esta Associação eu manifeste ser seu simpatizante através do registo na rede OÁSIS 1000. Sendo-lhe atribuído um número sequencial correspondente ao número de Associado que comporá o nome de estação (QRA) como sufixo do prefixo “OÁSIS” ou outro em uso na APROSOC.

É do conhecimento público de que quando se escuta um prefixo OÁSIS, se está na presença de um membro cujo o QRA lhe foi atribuído pela APROSOC, independentemente de pertencer ainda ou não a esta Associação, muito provavelmente já nos escutou ou comunicou connosco.

Se deseja fazer parte deste movimento dinamizador das radiocomunicações cidadãs e amadoras, iniciado em meados da década de 90 através de um conjunto de projetos Associativos que viriam a culminar na APROSOC, temos muito gosto em que seja Associado da APROSOC ou simples simpatizante (também com opção de um nome de estação (QRA).

Pode contactar-nos tendencialmente em CB27 e/ou PMR446 em canal 12 e/ou caso seja radioamador em 145.3875 MHz no modo narrow FM. Independentemente de fazer ou não parte de uma organização seja ela qual for, temos muito gosto na sua participação diária no programa original OÁSIS da APROSOC – Associação de Proteção Civil, constituída em 22 de Dezembro de 2015 na sequência de outros projetos Associativos que lhe deram lugar. 

Para qualquer assunto relacionado com o PROGRAMA OÁSIS ORIGINAL, pode contatar-nos através do e-mail: [email protected] ou fale connosco pelo WhatsApp, Telegram ou Signal: 910 910 112.

Faça parte de uma destas listas:

NOME NUTS III + QRA CB QRA PMR446 QRA HAM QRA INTERNO
JOÃO SARAIVA A.M. LISBOA DUKE PMR339 CT1EBZ OÁSIS 1
ANDRÉ TAVARES A.M. LISBOA OÁSIS 2
NELSON BATISTA A.M. LISBOA OÁSIS 3
ANA CRISTINA A.M. LISBOA OÁSIS 7
VICTOR MARTINS ALGARVE La FÉRE CT1DRU OÁSIS 11
MARCO MALLOZZI A.M. LISBOA OÁSIS 24
ISABEL MIRANDA A.M. PORTO OÁSIS 33
MARIA ENCARNAÇÃO A.M. LISBOA OÁSIS 36
JOÃO PLÁCIDO REGIÃO DE LEIRIA SENTINELA CT1BIL APROSOC 40
VITOR FRADE A.M. LISBOA CT5HQN OÁSIS 45
PAULO JOSÉ A.M. PORTO CT1EFS OÁSIS 55
VIRGÍLIO FERREIRA A.M. LISBOA OÁSIS 75
NELSON DUARTE A.M. LISBOA APROSOC 80 PMR6147 CS7AUB APROSOC 80
SÉRGIO MATIAS A.M. LISBOA CT1HMN APROSOC 86
PAULA GUERRA A.M. LISBOA OÁSIS 90
PAULO CARVALHO A.M. LISBOA SISÃO CR7BGS APROSOC 94
MOISÉS FRADE A.M. LISBOA OÁSIS 100
HUGO FRANCO A.M. LISBOA CR7AWF APROSOC 110
PEDRO SANTOS A.M. LISBOA OÁSIS 129
JOSÉ SILVA A.M. LISBOA PAI HERÓI PMR4020 OÁSIS 147
JAIME LARANJEIRA A.M. LISBOA OÁSIS 150
PEDRO REBELO A.M. LISBOA OÁSIS 162
ANTÓNIO LARANJEIRA A.M. LISBOA OÁSIS 170
LUIS MARTINS A.M. LISBOA OÁSIS 192
JOÃO CAMPOS A.M. LISBOA CT2ITA OÁSIS 193
HUGO TABORDA A.M. LISBOA APROSOC 210
NUNO MATEUS A.M. LISBOA CT2FGS OÁSIS 213
RUI CANDEIAS BEIRAS E SERRA DA ESTRELA LOBO LOBO OÁSIS 216
CARLOS MARQUES A.M. LISBOA OÁSIS 221
JOSÉ GOMES REGIÃO DE COIMBRA OÁSIS 226
MANUEL MILHEIRIÇO MÉDIO TEJO OÁSIS 235
MANUEL MARQUES REGIÃO DE AVEIRO CR7BCI OÁSIS 236
MÁRIO CARVALHO BEIRAS E SERRA DA ESTRELA OÁSIS 237
ANA COSTA FORA DE PORTUGAL PANDA 1 OÁSIS 242
ANDRYELLY BASTOS A.M. LISBOA PANDA 2.1 OÁSIS 243
PEDRO INÁCIO A.M. LISBOA MAGNETIC CR7BHD OÁSIS 244
BREVEMENTE A.M. LISBOA EM PROCESSAMENTO CT1 OÁSIS 245
REDE ORIGINAL OÁSIS 1000
QRA OÁSIS 1000 NOME DE OPERADOR REGIÃO LOCAL BANDA QRA ANTIGOS
1001 NEVES CENTRO OLIVEIRA DO HOSPITAL PMR446 PMR 1061
1002 JOÃO PEDRO SIMÕES CENTRO COIMBRA CB27, PMR446 OÁSIS 112 / ESTAÇÃO CIDADE
1003 PAULO NOGUEIRA CENTRO CANTANHEDE CB27 PAPA J6
1004 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1005 MÁRIO PEDRO A.M. LISBOA BARREIRO CB27, PMR446, HAM, LPD433 CT2JRH / PMR1019
1006 DIOGO POLICARPO NORTE AMARANTE CB27, PMR446 ESTAÇÃO COBRA / PMR4906
1007 JOÃO PAULO CENTRO MAÇÃO
1008 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1009 CARLOS MOURA SANTOS A.M. LISBOA TORRES VEDRAS CB27, PMR446
1010 PEDRO COLAÇO A.M. LISBOA MOITA CB27, PMR446 PAPA MIKE / PMR 5357
1011 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1012 CARLOS SILVA CENTRO POMBAL PMR446 CT7AVY
1013 HUGO COSTA NORTE ESPOSENDE CB27, PMR446 COSTINHA / PMR 5357
1014 FILIPE AUGUSTO CENTRO PEDROGÃO GRANDE PMR446, CB27
1015 ECHO CHARLLIE CENTRO VILA DO CONDE CB27, PMR446
1016 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1017 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1018 PEDRO SILVA NORTE BRAGA PMR446 V T M
1019 LUIS NORTE GONDOMAR PMR446
1020 ANULADO
1021 FRANCISCO MENDES NORTE VIANA DO CASTELO PMR446
1022 NELSON CUNHA NORTE LOUSADA CB27, PMR446
1023 MENDES A.M. LISBOA SINTRA
1024 TIAGO ABRANTES NORTE PORTO PMR446
1025 LUÍS A.M. LISBOA CB27 CONDOR | CQA5588
1026 PEDRO ALMEIDA CENTRO ALCOBAÇA CB27, PMR446
1027 ANULADO
1028 VICTOR MOREIRA NORTE VALONGO PMR446
1029 CARPINTEIRO CENTRO CANTANHEDE PMR446 PMR 5384
1030 PEDRO CRUZ PMR446
1031 JOAQUIM MAIA NORTE VILA NOVA DE GAIA CB27, PMR446 TORPEDO
1032 WILMER REVERENDO CENTRO AVEIRO CB27, PMR446
1033 JOÃO CENTRO IDANHA A NOVA PMR 446 PMR 5400
1034 JOSÉ MARTINHO NORTE OVAR CB, PMR446 RAIO AZUL
1035 ANULADO
1036 FERNANDO LOURENÇO CENTRO CASTELO BRANCO CB27, PMR446 PMR 3963
1037 CARLOS F. A.M. LISBOA SINTRA
1038 ANULADO
1039 JOSÉ HENRIQUES A.M. LISBOA SEIXAL PMR446 COBRA 6270
1040 CARLOS FELGUEIRAS NORTE VIANA DO CASTELO PMR446
1041 BRÁULIO CENTRO PENACOVA CB27, PMR446, HAM CHARLLIE BRAVO
1042 DAVID COSTA NORTE VIANA DO CASTELO CB27
1043 CARLOS MARTINS ALGARVE OLHÃO CB27, PMR446
1044 ANULADO
1045 ANULADO
1046 ANULADO
1047 PAULO FONSECA ALENTEJO PORTALEGRE CB27, PMR446
1048 JOÃO LOURENÇO CENTRO CALDAS DA RAÍNHA CB27, PMR446
1049 PASSOU A ASSOCIADO DA APROSOC
1050 BRUNO MARQUES NORTE CHAVES PMR446 PMR 839
1051 GONÇALO BRANCO CENTRO GAVIÃO PMR446 PMR 4726
1052 RUI FREITAS NORTE MAIA PMR446 PMR 4616
1053 ACÁCIO RAIMUNDO A.M. LISBOA ARRUDA DOS VINHOS TARTARUGA
1054 CARLOS SANTOS CENTRO AVEIRO ABELHUDO
1055 CRUZ ALGARVE FARO CB HÓMICA / CT1EDK
1056 ANDRÉ CATARINO A.M. LISBOA VILA FRANCA DE XIRA
1057 JOSÉ PEREIRA CENTRO COIMBRA CB27, PMR446 PMR 1509
1058 ANTÓNIO REIS ALGARVE SÃO BRÁS DE ALPORTEL CB27, PMR446 PMR1052

 

RECINTO DAS FESTAS DE OEIRAS, A CATÁSTROFE ANUNCIADA

A APROSOC visitou ontem o recinto das Festas de Oeiras e, as insuficiências encontradas ao nível do planeamento de segurança são gritantes, determinando que só por acaso ali não ocorre uma catástrofe.

Analisamos alguns riscos e, concluímos que as falhas encontradas são inadmissíveis num concelho que se afirma um dos melhores para viver e trabalhar.

Observa-se o seguinte:

  1. A sinalética aplicada não possibilita a adequada visibilidade em caso de apagão, bem como as distâncias a que se encontram colocadas
  2. O recinto está localizado a 350metros da linha de água do oceano atlântico, com um cota de 5 metros, sem qualquer sistema de aviso de tsunami.
  3. O recinto não tem controlo de acessos sendo a circulação de pessoas, animais, armas e engenhos explosivos totalmente livre.
  4. Embora esta não seja uma zona sismologicamente muito ativa o risco existe, tal como o de acidente sideral.
  5. Não se observam no recinto quaisquer recomendações suficientemente visíveis nem dispensadores de máscaras ou dispensadores de produto higienizante das mãos.
  6. e os seus ângulos dificultam a sua visibilidade em vários ângulos, bem como a visibilidade a cidadãos com deficiência visual parcial.
  7. Não existem corredores ou espaços reservados a pessoas com deficiência e em caso de necessidade de evacuação imediata do recinto estes estariam mais vulneráveis.
  8. Em caso de necessidade de evacuação imediata, o número de acessos e sua largura impossibilita o fluxo adequado de pessoas, possibilitando muitos prováveis atropelos, esmagamentos e consequentes ferimentos ou mortes. A ausência de sinalética que indique sentidos de entrada e sentidos de saída, bem como a direção do local seguro em caso de tsunami (por exemplo), é outra grave lacuna verificada e que inevitavelmente contribuiria para o número de vítimas.
  9. Não se observam corredores sectorizantes destinados a facilitar a deslocação das equipas de emergência no recinto, estando assim dificultada e a carecer da boa vontade das pessoas presentes no recinto.
  10. Observa-se o acesso a bebés e crianças, muitas delas em carrinhos de bebé, possibilitando a exposição destes a volumes de som potencialmente gerador de danos cocleares irreversíveis, contribuindo assim para o aumento do número de casos de cidadãos com deficiência auditiva.
  11. A ausência de videovigilância do recinto possibilita que umas infinidades de situações não sejam detetadas em tempo útil.
  12. Não se observa nos agentes de proteção civil (PSP, Polícia Municipal, Bombeiros) ali presentes, equipamento de proteção individual adequado ao cumprimento das suas missões nas diferentes situações possíveis de ali ocorrer.
  13. O controlo de tráfego e a ausência de planeamento de tráfego a pensar no evento, dificultaria o fluxo de veículos de emergência em caso de necessidade decorrente de acidente massivo.
  14. A ausência de sistema que possibilite contabilizar o número de visitantes, bem como a indefinição da lotação do recinto, impossibilita a adequação do dispositivo de segurança.

Conclui-se, portanto, que, um município que se afirma como vanguardista, no que concerne à segurança naquele recinto público, aplicou um dos conceitos de segurança mais conhecidos “o tudo ao molho e fé em Deus”.

Numa escala de 0 a 1o, a APROSOC – Associação de Proteção Civil, avalia a segurança naquele evento (quanto aos aspetos avaliados) em 3.

 

SEM REDE

5 anos passaram desde a tragédia de junho de 2017 e, muitas zonas que então não tinham rede de telemóvel continuam a não ter, outras felizmente passaram a ter.

Ajude-nos a compreender o que mudou desde então, informe-nos dos casos de que seja testemunha em que continua a não haver rede fora dos edifícios e dos casos onde passou a haver rede. Indique-nos por favor a localidade em causa.

Pode informar-nos em resposta a este artigo na zona de comentários, pelo e-mail: [email protected], ou por telegram ou WhatsApp 910 910 112.

O objetivo deste apelo é instar o poder político instituído a exercer sobre os operadores de telecomunicações as ações conducentes à resolução dos problemas identificados, não estamos a prometer nada para além de que faremos a nossa parte.

Ficamos muito gratos pela atenção e tempos dispensado,

APROSOC

APROSOC propõe rede de comunicações das Organizações de Voluntariado de Proteção Civil (OVPC)

A APROSOC – Associação de Proteção Civil é, uma das, organizações de voluntariado de proteção civil especializada em radiocomunicações de emergência, tendo por este motivo a iniciativa de propor que se criem redes comuns a todas as OVPC que a elas pretendam aderir, respeitando-se o direito de cada OVPC ter a sua identidade própria e por isso poder ter se assim o entender redes próprias e exclusivas de modo a garantir a salvaguarda da privacidade das suas atividades internas.

Defende assim a APROSOC que para além das diferenças que caracterizam e dão identidade a cada OVPC, estas organizações atentem ao facto de inevitavelmente mais cedo ou mais tarde todos precisarem de todos e a ação de cada uma poder ser convergente ou complementar da de outras. Neste contexto, faria sentido existir nas redes sociais um canal estratégico entre representantes de todas as OVPC, bem como um canal participado por todos os membros das OVPC que a ele entendam aderir e partilhar informação.

Por outro lado, a falta de estratégia de radiocomunicações, faz atualmente com que várias entidades recorram a frequências que não estão legalmente autorizadas a usar, ou que ainda que a frequência seja livre, a potência e equipamento usado não são lícitos nas referidas frequências, sendo que não existe um plano de frequências comum que em caso de emergência num teatro de operações complexo possibilite a comunicação entre estas diferentes OVPC, gerando assim constrangimentos semelhantes aos que se observam nos agentes de proteção civil com o SIRESP.

Um plano nacional acordado entre todas as OVPC que desejem aderir, pode representar uma ampliação de capacidades e, contribuir em muito para aumentar a segurança de todos os operacionais das OVPC.

A APROSOC está disponível para colocar diferenças e diferendos de parte, possibilitando que surjam sinergias coordenadas entre aderentes, como aquelas que se observam por exemplo entre corporações de bombeiros, cada uma com a sua identidade própria, mas que no terreno se auxiliam mutuamente sempre que necessário.

Neste sentido e, crendo ser do superior interesse público, a APROSOC manifesta abertura a todas as OVPC disponíveis para dar início e desenvolver as redes comuns às OVPC.

Entenda-se por OVPC não apenas as reconhecidas pela ANEPC, mas todas aquelas que independentemente do reconhecimento, prossigam atividades que concorram para fins de proteção civil e sejam tidas como uma mais valia no apoio desde que tenham génese Associativa e por isso não lucrativa.

Os representantes interessados na concertação sobre este assunto, podem se assim o desejarem contactar-nos através do e-mail: [email protected] ou telefone 910 910 112.

Não pretendemos assumir a liderança do projeto, somente somos uma das partes potencialmente interessadas e disponíveis para o diálogo, dai resultando a iniciativa.

EXERCÍCIO DE HOMENAGEM “17-06-2017”

Em 17, 18 e 19 de junho de 2017, vizinhos que não se falavam em muitos casos há décadas, ajudaram-se uns aos outros durante os trágicos incêndios que ficaram conhecidos por sendo de Pedrogão Grande, mas que atingiram outros concelhos.

Em 2022, a APROSOC lança um repto a todos os Cidadãos, Grupos e Associações, o de colocarem de parte diferenças e diferendos e, convergirem esforços no sentido de fazerem um exercício nacional de radiocomunicações de âmbito local, de modo a colocar à prova as competências e capacidades instaladas nas comunidades de radiocomunicações cidadãs e amadoras.

Neste contexto, convidamos todos os cidadãos para, na próxima sexta feira entre as 21 e as 22 horas, em homenagem às vítimas falecidas ou sobreviventes dos trágicos incêndios de 2017, estabelecerem contacto com outras estações em CB, PMR446 ou VHF de Radioamador, nas frequências que foram usadas nos incêndios em Pedrogão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos.

Os membros da APROSOC, a partir das suas residências ou locais estratégicos, responderão sem qualquer discriminação a todas as estações que se façam presentes  nas frequências indicadas, colocando de parte todos os diferendos e diferenças, num gesto de humildade indissociável do facto de que, em situações de acidente grave ou catástrofe a ajuda vem por vezes de onde menos se espera e, “mais cedo ou mais tarde todos precisamos de todos”, porque, “qualquer catástrofe possível de ocorrer, mais cedo ou mais tarde ocorrerá” e, “ninguém pode garantir que esteja tão bem preparado que não precise de outro alguém”.

Esta é uma proposta “de coração aberto”, uma proposta de paz, união, aproximação e empatia com todos os nossos semelhantes, irmãos da espécie humana nesta casa que a todos nos acolhe e que chamamos Terra.

Tal como em junho de 2017, estaremos operativos em:

  • CB canal 19 FM/AM
  • PMR446 canal 2
  • VHF 145.500MHz NFM para chamada e 145.450MHz para operação

Não são atualmente estes os canais que usamos, mas foram estes os canais que usámos naquela tragédia.

Não importa que equipamentos se usam em emergência, importa que funcionem e cumpram a missão sem prejudicar terceiros, ninguém deve recear o que quer que seja neste exercício, pelo contrário, devem esperar de todos uma postura cordata e de sentida homenagem.

Não importa que não saiba comunicar via rádio, ninguém nasce ensinado. Se assim o desejar, recomendamos que procure replicar os melhores exemplos nos procedimentos radiotelefónicos, deixe um espaço de 3 segundos entre transmissões, seja breve e objetivo na sua transmissão, use a expressão “escuto” ao passar a palavra a outra estação, refira sempre o nome de estação a quem passa a palavra, termine a transmissão quando nada mais tem a transmitir usando para isso a expressão de serviço “terminado”.

Tal como em Teatros de Operações, os membros da APROSOC não vão tendencialmente utilizar qualquer prefixo nas radiocomunicações cidadãs ou privativas, somente os seus números de Associado e, em caso de necessidade diferenciadora utilizarão o prefixo “APROSOC”.

Algumas estações da APROSOC vão transmitir e registar mensagens alusivas às operações de socorro naquela incêndio se desejar participar também na receção e registo ou mesmo transmissão de mensagens temos muito gosto em interagir com todos.

Pedrógão Grande, junho de 2017, 66 vítimas mortais. Para que tragédia idêntica não se repita, previna-se, prepare-se, equipe-se, forme-se, treine-se, estabeleça ligações e laços locais, e comunique.

A Direção 

A CATÁSTROFE DE PEDROGÃO GRANDE 5 ANOS DEPOIS

5 anos após a catástrofe de Pedrogão Grande, a APROSOC observa alguns sinais importantes de melhoria do Sistema Nacional de Proteção Civil, muitas promessas incumpridas e, mais por faze do que aquilo que foi feito e era expectável ter sido feito.
Ao nível da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e, dos agentes de proteção civil, há alguns indicadores positivos no âmbito da intervenção, contudo, no âmbito do envolvimento das populações, sua equipagem e treino, o pouco que existe é tão pouco que não tem expressão e, são meras amostras que caracterizam a ausência de responsabilidade da administração central do Estado nos seus diferentes níveis político territoriais em Portugal Continental.

Criaram-se, e bem, diplomas de incentivo à ação autárquica, contudo, a ausência de um regime sancionatório do incumprimento por um lado e, não menos importante, pelo contrário, um adequado pacote de financiamento, impossibilitaram a implementação das recomendações constantes do Decreto Lei 44/2019, que ficou esquecido na gaveta da maioria das autarquias.

Há inegavelmente desenvolvimentos, contudo, a lentidão por um lado e, a falta de estratégia central e local por outro, retiram-nos a esperança de que a memória das vítimas venha a ser honrada pelos atos conducentes a que tal tragédia se repita no futuro, tornando-o uma inevitabilidade. Não cremos que um monumento honre a memória das vítimas ou recompense os sobreviventes, mas sabemos que seguramente dará aos governantes a oportunidade para o protagonismo mediático de mais uma inauguração.

“Conversão” de equipamentos de radiocomunicações “ilegais” em legais

O título pode parecer apenas sugestivo, mas o conteúdo irá decerto ao encontro de sonhos antigos dos nossos leitores.
Muitos detentores de equipamentos de radioamador que os usam em CB ou PMR 446, creem que não são capazes de fazer exame ou que não são capazes de obter aptidão para a categoria 3 ou até mesmo para a categoria 2 e 1, contudo, desde 2017 a APROSOC tem motivado e/ou apoiado diversos Associados e não Associados para a preparação para exame, sendo os resultados alcançados, a prova viva de que todos conseguem se se empenharem e se sentirem motivados e empenhados.
Foram mais de 3 dezenas desde 2017 os novos radioamadores que a APROSOC incentivou e/ou apoiou para que concretizassem esse sonho, muitas vezes antigo e, muitas outras Associações o fazem com sucesso. No caso da APROSOC temos a honra de poder afirmar que um então Associado realizou exame com aptidão aos 14 anos e outro com 81 anos.

Os detentores de um certificado de amador nacional não passam a estar legitimados para a pirataria nas radiocomunicações, mas passam a estar legitimados para o uso de equipamentos de rádio amador e rádio amador por satélite, nas frequências consignadas a esses serviços, deixando assim de estar na clandestinidade e passando assim a ser radioamadores com plenos direitos no usufruto desses equipamentos.

A APROSOC está apostada em apoiar e incentivar mais cidadãos em aderir ao radioamadorismo, sem nunca deixar de contribuir para o desenvolvimento das radiocomunicações cidadãs (isentas de licenças e taxas), é este o fundamento do Programa OÁSIS desta Associação que, tem ainda por objetivo, apoiar cidadãos completamente leigos em radiocomunicações e, dotá-los de competências de operação que lhes possibilitem inclusive operar em situações de emergência, com correção procedimental radiotelefónica, bem como com capacidade de gestão de stress.

Não temos um programa melhor, nem somos uma organização melhor ou maior que outras, somos uma organização com objetivos diferentes, complementares, convergentes e, raramente supletivos. Valorizamos as sinergias e as relações interpessoais, sendo valores intrínsecos da APROSOC a ética e a amizade.

Se tem a aspiração de ser radioamador, ou um sonho antigo de pelo menos ser utilizador de rádios da banda do cidadão ou walkie-talkies, não fique pela aspiração, atinja a concretização, contacte-nos e ajudamo-lo a encontrar uma solução. Queremos ajuda-lo a que os equipamentos que eventualmente possua sem habilitação legal (rádios, amplificadores de potência,…), passem a estar na sua posse com toda a legitimidade. Por outro lado, caso o equipamento não tenha caraterísticas legais, também o podemos ajudar com soluções técnicas.

Conte connosco para ir mais além na concretização dos seus sonhos nas radiocomunicações!

 

Grupos APROSOC no Facebook

Estimados seguidores da APROSOC no Facebook

Foram inúmeros os pedidos de admissão que a APROSOC infelizmente teve de rejeitar desde que reservou os seus grupo Facebook a Associados. Este facto não se traduz de modo algum no facto de termos algo contra as pessoas que nos solicitam admissão nos grupos, mas sim no facto de as experiências havidas nesse sentido não terem produzido bons resultados em termos de participação ativa por parte dos membros que, na maioria dos casos retiravam mais dos grupos do que aquilo que davam aos grupos. Por este motivo, bem como para evitar alimentar o ego daqueles que se alimentam das polémicas que produzem com a informação interna de uma organização, os grupos Facebook da APROSOC são reservados a Associados, de modo a mantermos o controlo possível de um ambiente desejavelmente cordial, participado e de partilha reciproca.

Não pretendemos ser muitos, pretendemos ser amigos reciprocamente úteis.

Caso pretenda Associar-se pode fazê-lo em: ADERIR À APROSOC – APROSOC “Associação de Proteção Civil”