APROSOC passa pela primeira vez a admitir voluntários não Associados

Procurando responder às constantes mutações sociológicas no associativismo, a APROSOC não se tem poupado a contínuas ações programáticas que visão compreender as formas de voluntariado mais consentâneas com as disponibilidades e predisposições da sociedade portuguesa. Neste sentido passa a vigorar mais um regime experimental que pretende constatar se se trata do modelo que melhor vá de encontro às vontades e disponibilidades dos potenciais voluntários em harmonia com as necessidades operacionais da APROSOC no âmbito da proteção civil.

Doravante o Agrupamento de Voluntários de Proteção Civil (AVPC) da APROSOC passa a ser composto por Associados e por voluntários não Associados, sendo os deveres e direitos dos Associados os que resultam do regulamento interno e, os dos voluntários não Associados os que constam do regulamento próprio e está a ser ultimado pela Direção da Associação, contudo, aqui levantamos a ponta do véu a quem interesse…

A admissão depende de uma entrevista realizada entre o candidato e um júri composto por pelo menos 1 membro da Direção, 1 voluntário Associado, e um terceiro voluntário que pode ou não ser Associado.

Os critérios do júri terão em conta as evidências de adequação das competências, disponibilidades e capacidades do voluntário, bem como de perfil no âmbito do: relacionamento interpessoal, literacia, domínio da língua portuguesa, bem como da aparente aptidão física e psíquica.

A admissão de voluntários não Associados está condicionada ao rácio de 1 voluntário não Associado para cada 3 Associados, de modo a ser garantida a sustentabilidade financeira dos custos inerentes a cada voluntário não Associado.